O líder amigo

liderança

Olá pessoal, no artigo que falei sobre a importância do feedback, em um determinado momento, citei que o líder pode ter uma relação de amizade com seus colaboradores. Diante da polêmica do assunto, acabei recebendo  alguns e-mails pedindo para que eu falasse mais sobre essa relação.

Naquele momento, o que eu quis dizer foi mais no sentido do líder poder, e eu acho até dever, ser amigo no sentido de mostrar que se preocupa, inclusive, com a vida pessoal do liderado, perguntando para ele como foi o fim de semana, como está a família, etc. Acho importante essa relação, o líder precisa demonstrar ser amigo e ganhar a confiança de seus liderados, assim fica mais fácil ter um ambiente de trabalho propício para uma equipe de alto desempenho e engajada com um propósito.

Mas vamos aprofundar mais e falar de amizade entre liderado e líder, seja aquela resultante do relacionamento diário em virtude do trabalho ou a amizade que já existia antes mesmo da relação profissional existir.

Realmente é uma situação delicada, em vários momentos durante o dia a dia da empresa o líder, pela amizade, poderá ficar em uma saia justa. Imaginem uma promoção de um colaborador e a não promoção de outro que achava que seria escolhido pela amizade mantida com líder.

Eu acredito que o chefe pode sim ser amigo dos seus subordinados, mas é fundamental que saiba administrar muito bem a relação. O líder precisará deixar claro a separação entre a amizade e a relação profissional. Ele mesmo deverá se policiar para não deixar ser influenciado pela amizade. Na situação acima, o correto seria justificar para o amigo o por quê do aumento do outro colaborador e reiterar a importância de reconhecer os demais colegas para o bem da empresa e da equipe, lembrando, inclusive que o reconhecimento dado ao amigo foi resultado da política de meritocracia.

Por isso, a conversa no dia a dia, sobre os projetos, metas do departamento e princípios que balizam a empresa se fazem importantíssimas. A proximidade deve servir para diminuir a chance de uma saia justa e tudo isso exige muita conversa e transparência por parte do líder e maturidade e profissionalismo dos dois.

Nesse momento, entram as dicas do post anterior (a importância do feedback). Um feedback construtivo para a carreira do colaborador que não teve a promoção é muito importante. Explicar que cada integrante da equipe contribui com o seu melhor e como líder é seu dever formar um time com espírito de equipe, atingindo a maior eficiência possível.

Agora, em muitos casos ações mais energéticas precisarão e deverão ser tomadas. O liderado que não entender seu papel na empresa e achar que, por ser amigo do chefe, pode fazer “corpo mole” e se comportar inadequadamente, confundindo a amizade com o compromisso profissional,  deve ser repreendido. O bom líder se faz também pela habilidade de lidar com essas situações adversas.

Tudo tem um limite, se a amizade fez com que surgisse insubordinação ou falta de respeito e a conversa não está surtindo efeitos, será preciso uma atitude drástica. Nessa hora, além de explicar a atitude tomada dentro do ambiente profissional também vale um bate papo entre amigos fora do expediente, em que o amigo líder deve até dar inputs para evitar que novas situações como esta aconteçam.

Acredito que, na maioria dos casos, o constante diálogo com a equipe mantenha tudo nos trilhos. O líder conseguirá a confiança, respeito e admiração de acordo com seus atos, por isso a transparência e honestidade serão essenciais.

Boa sorte!

Cadastre seu e-email e receba nossos artigos. Milhares de pessoas já estão recebendo, não fique de fora!!

Mario Cesar Massaro Rivera

Sócio na Amber Sistemas e fundador do blog startando-se onde fala sobre empreendedorismo, produtividade e liderança, com o objetivo de ajudar e inspirar pessoas.

Website: